segunda-feira, 10 de março de 2014

A Última Musica

Nesta história conhecemos Ronnie, uma jovem garota muito perturbada com a separação dos pais, cheia de rancor e raiva, que é obrigada pela mãe a passar o verão com irmão mais novo na casa do pai, que a três anos ela não conversa.
Para ela esse é um momento de provocar e perturbar seu pai para mostrar toda sua raiva, nem tocar piano (que é um dom herdado por seu pai) ela toca mais, e se recusa a ir para ''Juilliard'' a mais famosa escola de música, onde ela ganhou uma bolsa.
Seu pai é uma figura, um homem muito inteligente, que faz muitas piadas, cheio de sensor de humor e com uma paciência que eu nunca vi na vida! Ele tenta de todas as formas se aproximar dos filhos. Mas seu pai guarda um grande segredo que vai fazer esse livro dar uma reviravolta.
 Mas com toda a rebeldia adolescente feminina termina quando tem um ''garoto'' envolvido, Ronnie ao tentar salvar um ninho de tartarugas (sim, porque mesmo num estilo gótico e rebelde, ela ainda se preocupa com tartaruguinhas marinhas) conhece o Will o mecânico/funcionário do aquário/jogador de vólei muito lindo  é praticamente amor a primeira vista, e com um  jeitinho todo sedutor ele vai derretendo o coração durão de Ronnie. 
Com problemas envolvendo outros personagens como o valentão do Marcos, que quer Ronnie de qualquer modo e com a família complicada e muito rica de Will, ela vai tendo de superar  os problemas e encarar de frente antigos fantasmas do passado.
O Verão que tinha tudo para ser terrível vai se tornando muito agradável, ela finalmente começa a se dar bem e perdoar o pai, conhece um amor verdadeiro e começa a sorrir a toa, mas quando você começa a esquecer que é um livro de Sparks e finais lindos e felizes não existem... Sparks faz de novo! O pai de Ronnie, Steve tem uma grave doença terminal, e é acusado pela cidade de ser o autor da queima da Igreja da cidade,  que Will esta envolvido também.
E de uma forma linda e comovente presenciamos o amadurecimento de uma jovem rebelde para uma mulher, uma filha que cuida do pai com todo amor e carinho e faz por ele tudo aquilo que uma filha amorosa faria por seu pai.
''A última música'' nome do livro, se refere a última música feita pela pelo pai de Ronnie, música que ela terminou quando ele já não conseguia mais tocar piano, ela chaga a tocar essa música na missa em memória dele, mas mais que uma canção, essa música representa uma jornada de amadurecimento e aprendizado, onde personagens adquiriram respeito, amor e acima de tudo aprenderam a perdoar em nome desse amor.
O Livro é em terceira pessoa, com capítulos tendo narrativas alternadas entre os personagens, temos a chance de ter uma visão de toda a história por vários ângulos, os capítulos que mais me comoveram foram os narrados pelo pai dela. Depois de ler alguns livros de Sparks começo a perceber como ele usa seus personagens, muitos deles são as vozes da razão, são usados para dizer tudo aquilo que (na minha opinião) o autor gostaria de dizer para as pessoas sobre a vida, o amor, a morte, amizade...etc. O pai de Ronnie, Steve em muitos momentos nos da grandes lições, tem momentos em que parece que ele fala, mas não é ele, é algo muito maior, e ai percebo a voz de Sparks envolto no livro, não sei se estou conseguindo me expressar bem, isso tudo pode ser muito confuso, mas é assim que o sinto, seus livros são grandes lições sobre a vida, que através das lindas histórias de amor, que envolvem os leitores, temos acesso as suas lições.
O filme baseado no livro, ''The Last Song'' é simplesmente muito lindo! Claro que como adaptação literária, muitos cortes foram feitos, cenas mudadas ...e blá blá blá. Mas num geral eu achei muito fiel e assim como o livro, me emocionou muito. Chorei de mais, e achei o ''Steve'' do filme muito idêntico ao do livro, tão fiel que vi nele o mesmo jeitão tranquilo e profundo, cheio de piadas de duplo sentido, e muito amoroso que tanto me encantou no livro


 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism