sexta-feira, 17 de julho de 2015

Entrevista com a autora Dáfne Freitas

Recentemente houve o lançamento do livro "O Despertar do Guardião" de autoria da Dáfne Freitas, a qual tivemos a honra de poder entrevista-la aqui no blog. Seu livro récem publicado tem como cenário o planeta Gondorle, cenário esse que contém muita fantasia e mistérios. Um trama envolvente que promete dar-oque-falar. 

Sinopse:

No pequeno planeta Gondorle o Capitão da Guarda Real, Héricles Adalberon, se vê diante de um dilema: manter-se ao lado do Rei e tentar proteger o reino, ou sacrificar sua carreira e manter a Princesa a salvo? Salvar o reino pareceria o mais óbvio, mas sua intuição lhe dizia o contrário. Teria que se aliar ao inimigo do reino nessa empreitada sem cabimento, e torcer para que seus propósitos fossem compreendidos.

A história inicia-se com uma decisão difícil, que reúne pela primeira vez os personagens de uma trama muito maior. Enquanto aprendem a trabalhar juntos e confiar uns nos outros, estreitam-se os laços entre eles. E quando uma força estranha desperta, num incêndio monstruoso, eles descobrem que há muito mais em jogo do que apenas a busca pela salvação do reino.

Sem mais delongas, segue a entrevista:

Partindo desde o princípio, como você definiria a sua relação com a leitura? E com a escrita? Eu sempre gostei de ler. Meus pais me incentivaram desde pequena, lembro que quando íamos no Carrefour (na época era a compra do mês) meu pai sempre deixava eu comprar um LP ou um livro se eu me comportasse bem, e eu sempre escolhia o livro! Sempre gostei de escrever também, mas nunca tinha levado a sério.

Qual foi o momento em que você decidiu começar a escrever "O Despertar do Guardião"? Quando eu tinha uns 16 anos, acho. Muita gente me incentivou a escrever essa história, e aí acabei escrevendo uma primeira versão dela. Apesar da trama central ter permanecido muito próxima do que eu escrevi naquela época, eu mudei o enredo completamente quando re-escrevi o livro há 2 anos atrás.

Escrever um livro não é fácil, o que mais te motivou? Eu adooooooooooooro contar histórias. =) E realmente eu acho que essa é muito boa, acredito nela.

Quanto tempo você ficou envolvida com a escrita do livro? Se contar desde a época que surgiu a ideia central do livro, foram quase 15 anos. Se for contar somente a segunda versão, levei mais ou menos uns 3 meses escrevendo, e mais 4 ou 5 meses revisando e alterando diálogos e cenas.

A busca por editoras foi muito difícil? Sim, levei um ano e meio até conseguir uma chance pela TLB (Talentos da Literatura Brasileira). Também entendo que a demanda delas deve ser enorme, a maioria das editoras que publicam esse gênero de livro  nem sequer estava aceitando originais para avaliação. Há muita gente escrevendo atualmente.

Agora para saciar nossa curiosidade, o que esperar dos próximos livro da saga? Olha... Sou suspeita pra falar! rs Mas eu particularmente gosto muito mais dos outros dois livros, do que do primeiro. O primeiro é só uma pequena pincelada de um cenário enorme que vai se formar no segundo livro. Os vilões não são tão vilões, os heróis não são só heróis. Eu diria que o primeiro livro é só a ponta de um iceberg!

Algum conselho à dar para pessoas que sonham em escrever um livro? Leiam muito. isso ajuda a criar vocabulário, a conhecer muitos métodos de escrita, perceber o que te agrada ou não em um livro, enfim, te torna crítico e te dá base pra escrever seus próprios textos. Escrevam. No começo você não vai gostar do que escreveu. Escreva de novo, e de novo, e de novo. Até achar que está bom, e então pare. Uma hora você precisa parar de revisar, senão não para nunca. fique atento aos detalhes do livro, aos diálogos, trabalhe bem as cenas, organize-se para não cometer erros (como escrever o nome de um personagem de um jeito e dali 20 páginas escrever de outro, por exemplo), deixe a sua imaginação fluir. São esses cuidados que são importantes.

Qual seus autores preferidos e que te incentivaram a escrever? São muitos, mas os que mais gosto são J. K. Rowling, Patrick Rothfuss, Eduardo Spohr, Monteiro Lobato.

Se identifica com algum personagem da ficção? Me identifico bastante com a Zira (uma das minhas personagens), na verdade acho que todos os meus personagens se parecem um pouco comigo. Mas ainda não achei ninguém parecido comigo em outros livros. rs 

Hoje em dia sabemos que ler não é só pra "velhos", algo à dizer sobre esta nova geração? Acho que há muitos leitores novos, mas há muito mais jovens que não leem do que antigamente. Hoje em dia não são todos que têm o hábito de ler, e se os pais não incentivarem os jovens, eles vão crescer sem nem ler um livro. Em compensação, os novos leitores me parecem muito mais insaciáveis, o que é muito bom. O aumento no número de sagas e séries de livros mostra bem isso, e não só séries de fantasia, como séries românticas ou dramáticas. Eles têm gostos muito mais versáteis e são muito mais críticos. É um desafio escrever para esse público, e ao mesmo tempo é recompensador quando um desses leitores me dão um retorno positivo! 

Além de ler, quais os seus hobbies? Assistir séries por exemplo? Não sou muito fã de séries, a única que assisto é Game of Thrones. Adoro cinema, adoro ver filmes de todo gênero, acho que certamente é um dos meus hobbies favoritos. Gosto de brincar com arco-e-flecha, mas não sou boa! rs Gosto de patinar também, mas também não sou a melhor patinadora. Acho que esses são meus hobbies.



 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism