sábado, 14 de novembro de 2015

Joana e Maurício - Resenha

Sinopse:

"A história de um amor perdido no tempo, um amor que, sim, pode ser medido em palavras. Joana e Maurício são duas pessoas pertencentes a realidades sociais distintas, inseridas no meio de uma guerra que jamais é datada. A única semelhança entre eles é a idolatria pelo poema e, diante disso, os dois, ainda jovens, começam a trocar cartas. Cartas que mais parecem desafios, mas que com o tempo se tornam a narração perfeita para aqueles que nunca souberam conversar como a sociedade exige. Joana é a mulher que pode ser definida como a incógnita: ora feminista, ora conformada, talvez ela seja a clássica personificação da bipolaridade feminina. Maurício, por outro lado, é o idealista cego que desiste inúmeras vezes pelo caminho – só para perceber que é covarde demais para, simplesmente, desistir."


Logo de cara já da perceber que o livro trata-se de cartas, certo? Mas me surpreendi ao abrir o livro e ver que na verdade o livro todo é feito delas. Eu não esperava isso. Entretanto admito: Tal peculiaridade dotada deste fator supresa só fez que eu gostasse ainda mais desta deslumbrante obra.  

“Eu quero dizer adeus,
mas meus dedos não me permitem.”


Nas 144 páginas que o compõem, lemos as cartas trocadas por Joana e Maurício, e assim como consta na sinopse, percebemos que ambos são duas pessoas pertencentes à classes sociais distintas. Em meio ao caos da guerra, podemos presenciar na mais poética escrita as suplicas de um romance intenso, curioso e intrigante que de fato só ocorreu por meio de cartas. 

"Eu me abri como um livro prestes a ser lido, 
há mais sobre mim em minhas cartas 
do que me minha própria casa.”

As palavras eternizadas por meio das cartas são recheadas de profundos sentimentos, que ora são de arrogância, outrora de ódio para então aquele tão conhecido e traiçoeiro sentimento ser admitido; o amor. Apesar disso, juntos o casal não pode ficar. Joana, portadora do importantíssimo Poole como sobrenome, está prometida à outro homem. Já Maurício, está sendo convocado para a guerra e além disso falta-lhe dinheiro, que o Duarte de seu sobrenome não comporta.  Mas para eles sobrenomes não importam.

"Eu me disfarço de poeta para poder escrever o que jamais pude burlar, Joana.  A poesia é a genialidade do grito surdo. E eu estou surdo de tanto implorar pela sua resposta. Fuja comigo." 

As cartas são seus confessionários. E por meio das palavras os dois criam um mundo próprio repleto de metáforas, sarcasmo e reflexões. Tudo de uma forma tão intensa e delicada, que nos agarra de imediato. 

Este livro trabalha muito com nosso imaginatório, pois não sabemos o que está acontecendo além do que ali é relatado. Só nos é permitido sentir a história através da visão dos personagens, o que é um tanto confuso. Pois ambos são de uma complexidade que nos confunde e engana. Ao concluir a leitura, não fiquei com apenas uma dúvida... Fiquei com várias. E com decorrer da história, percebemos que as pontas soltas são apenas mais um charme acrescentado à história. 


"Liberte-me, Joana. A prisão das palavras é a pior cela que há nesse mundo. Não ter voz é não ter chão." 

Eu li este livro em um fim de semana que eu estava na minha vó, e por uma incrível coincidência, mentira, tive que procurar por um tempão, achei uma caixa cheia de cartas escritas por ela. E assim como os personagens do livro, lá minha vó eternizou seus mais sinceros sentimentos, desde o simples narrar de um dia de chuva à um descrição de uma receita de bolo. Isso por si só ja serve de exemplo para provar o valor inigualável de escrever e receber uma carta. Tanto até que o teor belo e clássico das cartas não são só reconhecidos neste livro, como também no Por Correspondência, entre tantos outros.

E com isso fica a dúvida: No meio da era tecnológica o que realmente pode ser considerado luxo; Ter um celular de ponta e trocar mensagens cheias de emojis escrita as pressas, ou receber uma carta bem escrita e totalmente pensada, feita com todo cuidado especificamente para você? 

23 comentários:

  1. Olá, Vinicius.
    Eu ainda não conhecia esse livro mas já me interessei. Uma vez li um livro que era inteiro de e-mails trocados. Imagino que esse será bem melhor porque nas cartas geralmente colocamos os sentimentos. Faz tanto tempo que não escrevo uma que me deu até saudade agora. Assim que der eu vou ler.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim, as cartas contidas neste livro são de um puro sentimentalismo, beirando as vezes pro drama quanto pra felicidade. Uma ótima leitura, aposto que você irá gostar o/

      Excluir
  2. Oi, Vinicius!
    Não conhecia esse livro, mas parece ser bem interessante. Gosto muito quando livros vem em formatos de cartas, a leitura parece ser mais integral...
    Encantador o seu blog, estou seguindo, segue?
    Beijos,
    Borboletas de papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que tenha gostado =) E bom, cartas são cartas!

      Excluir
  3. Olá Vinicius,

    Adoro livros no formato de cartas, até mesmo o meu livro preferido é escrito neste formato <3
    Esse eu ainda não conhecia, valeu a dica ;)

    Parabéns pela resenha!

    Beijokas da Quel ¬¬
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual é seu livro preferido? Fiquei curioso ... uheueheueh

      Excluir
  4. Nada substitui a pessoalidade e o carinho que as cartas tinham. Infelizmente a gente perdeu isso. A tecnologia é bastante fria.
    Boa semana!

    http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente as cartas não conseguiram acompanhar a invasão tecnológica, mas enfim, fazer o que? Quem gosta de fato ainda pode continuar cultuando o ato, apesar de ser menos eficiente do que os outros serviços...

      Excluir
  5. Olá, Vinicius!
    De primeira esse livro em lembrou um outro "O Álbum", no lugar de cartas, cartões postais. Confesso que desanimei um pouco com o fato do livro ser contado por meio APENAS das cartas, pois sou meio traumatizada com tal formato.

    Ah, me lembrei também de uma meta que eu fiz para o meu projeto "18 coisas para fazer antes dos 18", que é justamente enviar cartas (aos amigos virtuais), é muuuito bom voltar no tempo, nessa era de emojis. se quiser, procura rapidinho lá no blog, para ver como fiz ;)

    Achei o cabeçalho do teu blog muito lindo <3 All star <3

    Blog Entretanto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estou pesquisando sobre o livro indicado por você! \o/

      Inclusive já li seu post e achei super legal a idéia de enviar cartas aos amigos virtuais....

      Obrigado u.u

      Excluir
  6. Oi, Vinicius! Tudo bem? Adoro cartas e a premissa desse livro é tão legal que fica impossível não querer lê-lo! Adorei a resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Tony \o/

      Fico feliz que tenha gostado, espero que você tenha a oportunidade de le-lo.

      Excluir
  7. Awwwn!!! *.*
    Eu já amei só por saber que é todo no formato de cartas, amo <3
    Já vou adicionar à lista. Não conhecia!!

    Beijinhos :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Que resenha maravilhosa, hein? Adorei essa peculiaridade do livro ser narrado por cartas, o enredo me chamou bastante atenção e acho que eu me identificaria com a Joana. Que legal você ter achado as cartas de sua avó <3 Com certeza adoraria receber uma bela carta a trocar emojis no Whatsapp ahaha.
    Beijos!
    apenasumaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Ainda não tinha ouvido falar no livro, mas fiquei bastante interessado ao ler sua resenha.
    Gosto bastante de livros em formato epistolar, esse tipo de escrita sempre me prende facilmente.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de ser um ótimo estilo, não é um de meus preferidos...

      Mas enfim, volte sempre e.e

      Excluir
  10. Oi Vinicius
    Ah, esses livros epistolares!
    Me chamou bastante atenção e me fez lembrar do livro "@mor", que é todo em forma de e-mail.
    Respondendo sua colocação, eu prefiro muito mais receber uma carta.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não preferiria receber uma carta? hahaha

      Obrigado pelo comentário...

      Excluir
  11. Oi. A premissa desse livro é muito legal e sua resenha é a segundo que leio sobre ele e me deixa um pouco curiosa. Se eu nao estivesse atolada de leituras com certeza adicionaria mais um a lista.

    Beijos
    SIL ~ Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  12. Adoreeei a resenha. Me fez lembrar do livro garoto da casa ao lado, eu sou apaixonada por esse livro e ja quero ler Joana e Mauricio <3
    Muito boa a resenha :3
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism