sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Resenha: Onze semanas - Ernani Lemos

Sinopse: 
A relação de amor entre duas pessoas, seja de mãe e filho, seja de marido e mulher, é desmedida por padrão. No início a empolgação se esforça para esconder todos os defeitos e no fim o cansaço faz esquecer todas as qualidades. Não há relacionamento em que uma pessoa veja a outra com justiça. Se existe alguém com quem nunca somos generosos, é com quem amamos.
Que acontecimento poderoso consegue afastar mãe e filha por quase toda a vida? E que tipo de força é capaz de reaproximá-las nas fronteiras da morte?
Da cama de hospital onde vive seus últimos dias, Claudia dá início a uma jornada dolorosa pelas experiências que moldaram a história dela e da filha, Meg. A mãe terá que ser mais rápida do que a morte para convencer a jovem a dividir confissões de uma vida marcada por um trauma. Manter-se viva e reviver a memória serão os desafios de Claudia para mudar o mundo das pessoas que mais ama.
Com uma dose de mistério que fatalmente leva os olhos à próxima página, Onze Semanas é uma viagem de sensações viscerais que conduz o leitor inúmeras vezes, sem que ele perceba, ao papel dos personagens.

É obrigação minha dizer que este livro é altamente envolvente, desde a história, até a mensagem que ele deseja transmitir. Durante o pouco tempo em que eu li esse livro, agradeci cada página lida por ter tal obra em minhas mãos, posso dizer com todas as letras que essa foi uma das melhores leituras que eu já tive. 

Não há um jeito fácil de descrever as diversas reações que eu tive durante a leitura, aliás, tem sim: Fui totalmente bipolar; hora ria, outrora, sofria. O contraste de acontecimentos proporcionados pelo autor são indescritíveis, com apenas um virar de páginas a história mudava completamente de tom. E acho que isso foi uma das melhores características do livro, a variação de momentos leves com a grande carga dramática nos prestigia com aquele momento de calmaria que precisamos para digerir algo difícil.  


Então, como já é dito na sinopse: O livro trata-se de uma relação entre mãe e filha. O desentendimento delas se teve desde muito tempo atrás. Desde pequena Meg sentia-se rejeitada por sua mãe, e após um acontecimento, que não nos é revelado imediatamente, ela simplesmente resolve sair de casa e ir morar com seu avô. E desde então, não voltou a falar com Claudia, sua mãe.

Agora na beira de uma cama de hospital, com sua mãe vivenciando os últimos dias antes de enfim dizes adeus, Meg resolve, pela primeira vez, escutar sua mãe. Tentar entende-la. Mas isso não será fácil, pois tantas anos de ressentimentos guardados não são fáceis de ser esquecidos. Mesmo assim, Claudia fica feliz, a reaproximação da filha, pois mais superficial que seja, já é o suficiente para deixa-la feliz, lhe dando forças para expor os seus "porquês" para a filha que sempre amou.


"Existe entre as pessoas uma escravidão de culpa. Após anos de ameaças e chibatadas invisíveis, que só machucam por dentro, muitos de nós se acostumam a carregas a culpa dos outros." - Página 209.
A explicação que Meg tanto esperava não veio da forma em que ela desejava. Muito pelo contrário. Claudia ainda muito envergonhada em expor seus motivos verbalmente, resolveu transcreve-los através de texto para folhas de um velho caderno, transformando-o em um diário. Segundo ela, sua filha precisava entender os motivos primeiro, para só então saber o porquê.

As primeiras folhas do diário mostravam o quanto a adolescência de Claudia foi difícil, tendo engravidado ainda muito cedo, teve que abandonar a escola e todos os seus sonhos para criar a filha. Seu marido, também muito novo, começou a fazer bicos como mecânico e a princípio as coisas iam seguindo bem, mas com o tempo, a rotina muito acelerada e as muitas responsabilidades, precoces, exigidas para manter uma família cobram seu preço. Pouco a pouco a pressão toma conta daquela aparentemente família feliz, e a corroendo lentamente, desestruturando-a.

Claudia teve muitos altos e baixos durante sua vida. E gradativamente ela vai os apresentando à Meg, que incialmente recebia as informações com impaciência, afinal, ela queria ir direto ao ponto que levou-a a abandonar o ser que lhe deu a luz. Mas com o tempo, ela fica envolvida com a história de vida da sua mãe, amolecendo seu coração de pedra.


O legal do livro é que ele é muito mais do que pode ser contado. Os melhores pontos da história são as revelações, que nos pegam totalmente de surpresa. A obra é uma completa bomba de emoções, um soco em nosso estômago. Lembro que assim que terminei de ler o livro eu fiquei em um completo estado de euforia. O final nos proporciona isso. Não é daqueles cheio de ação e com muitos acontecimentos, mas sim um daqueles que uma simples frase é o suficiente para cravar em sua cabeça e ficar lá, remoendo todos os seus pensamentos. E agora escrevendo essa resenha, eu volto ao estado de êxtase e fico relembrando nostalgicamente essa história incrivelmente linda e ao mesmo tempo forte. Sinto que palavras nenhuma podem descrever o quão magnifico é esse livro, e confesso: Nem eu mesmo tinha idéia de que seria uma leitura tão prazerosa, e por isso, agradeço novamente ao autor por ter me dado a oportunidade de ler esse livro.

28 comentários:

  1. Oi Vinicius! Nossa, parece ser um livro que provoca muitas sensações! Além de ter personagens interessantes! Confesso que se não fosse sua resenha, eu acho que não teria me interessado!

    Bjs, Michele

    Pop Notas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça o possível e o impossível, mas tente ler esse livro! ueeueh

      Excluir
  2. Oi, Vinicius!
    Pelo que percebi na sua resenha, o livro nos faz sentir uma gama de sentimentos.
    Apesar de curtir um drama, não leria por agora. Anotei a dica para no futuro, quem sabe...
    Adorei sua resenha. Ficou muito boa e deu para perceber o que você sentiu ao ler.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom desse livro, é que ele não é apenas um drama. Ele possui comédia e humor em certos momentos, ocasionando uma mistura muito gostosa.

      Excluir
  3. Olá, Vinicius! Tudo bem?
    Não conhecia a obra, mas gostei bastante do seu ponto de vista!
    O gênero que me chama mais atenção é o drama e esse livro parece ter isso. Parece o tipo de leitura que não poupa o leitor com sentimentos.

    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Vinícius,
    Gosto dessa brincadeira de emoções. Sua resenha me animou a ler, e olha que a premissa nem tinha me deixado curiosa e sim sua resenha.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Vinícius!
    Nossa, só a sinopse já me encantou e depois ainda teve sua resenha arrebatadora! Fiquei na vontade de ler agora.
    - Blog Entretanto -

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fique na vontade, leia mesmo heuheueheuhe

      Excluir
  6. Oii Vinicius, tudo bom?
    A primeira coisa que me chamou a atenção nesse livro foi, com certeza, a capa, gostei bastante. E a história parece ser muito emocionante, haha. Gostei bastante da resenha, deu para sentir direitinho seus sentimentos sobre a trama. Muito legal :)
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é maravilhosa. O xodó da minha estante!

      Excluir
  7. Oi :D
    Parece ser um livro muito bom, gostei muito da capa também. Simples e bonita.
    Bj


    @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me canso de falar bem dessa capa, realmente o resultado ficou ótimo!

      Excluir
  8. Adorei a resenha! Não tinha ouvido falar desse livro ainda, mas ele parece ser muito bom mesmo, ainda mais pela premissa! É um tema delicado, mas acho que vou gostar da história... vou procurá-lo por aqui! ;)
    Beijos!
    Maria - doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Ainda não conhecia esse livro, mas achei a história muito interessante, a capa já nos traz essa impressão.
    P.s.: Adorei o fato de o livro de fundo, ser de GOT ;)
    Abraços e que a Força esteja com você!
    http://www.paradageek.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A contra capa do livro de GOT é muito fotogênica eheuheuhe

      Excluir
  10. Seu entusiasmo todo com o livro foi contagiante! A capa me atraiu a atençao, mas acho que nao daria muito pela historia, parece algo bem facil de se imaginar como um filme. Sua resenha ficou maravilhosa, nos transmitiu direitinho como se sentiu e o quanto vale a pena viver as emoçoes da mae e filha personagens :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "House of night", vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que o enredo da história se parece muito com um roteiro de filme, creio que o filme seria ainda mais emocionante que o livro.

      Excluir
  11. Oi Vinicius!
    Parece ser um livro com uma alta carga emocional, gostei de conhecê-lo! :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com | Sorteio A Rainha Vermelha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de ter uma carga emocional muito grande, é um ótimo livro <3

      Excluir
  12. Da Chiado!! *.*
    Bom saber que esse livro é bom, tenho parceria com a editora, vou ver mais sobre ele e talvez o coloque até na lista!

    Passando pra te dizer que te indiquei em uma TAG ;)
    Beijo grande :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
  13. Nossa, gostei muito da sua resenha! O título já faz o leitor ficar curioso. Eu gosto de histórias assim, que dêem socos no estômago, que façam rir e chorar em um passar de páginas. E sua resenha aumentou ainda mais minha curiosidade.
    Te indiquei numa tag lá no blog.
    Check-in Virtual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Socos nos estômagos é uma maneira bem leve de descreve-lo ueheueuh

      Obrigado por ter me indicado! Sério mesmo! Obg :3

      Excluir
  14. Uau, quanta emoção envolvida! Só ali na sinopse já percebi que choraria litros com este livro, mas realmente parece ser muito bom. Você é cheio das dicas boas, menino! <3

    Bjs
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pessoa mais sentimental com toda certeza iria ficar desidratada de tanto chorar ueheuheueheuh
      Eu que não sou de chorar por qualquer coisa, fiquei com os olhos marejados em algumas cenas ueheuehueh

      Excluir

 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism