sábado, 23 de julho de 2016

Resenha: Diferenças em Comum - Flavia Camargo

O que tem de igual em todo mundo é que todo é diferente!
No livro da nossa vida é narrada a história que vamos escrevendo com a nossa conduta; somos responsáveis pelos fracassos e vitórias obtidos com a coragem empregada em cada luta. Quando aprendemos a aproveitar as oportunidades passamos a ser os causadores da nossa própria sorte e descobrimos que é graças às adversidades, que alguém pode se tornar uma pessoa forte. Sem experimentar a amargura do sofrimento não seria possível descobrir o imenso valor que reside em cada minúcia de um momento vivido com alegria, ternura, serenidade e amor. 
O livro Diferenças em Comum foi, para mim, uma agradável surpresa. Posso dizer que a autora conseguiu me fascinar ainda mais, tendo contato com mais um livro de sua autoria. O livro Por Correspondência, foi seu segundo livro publicado e o primeiro que eu li, já este, foi o seu primeiro livro publicado e minha segunda experiência, e arrisco dizer que apesar de ambos os livros serem infinitamente diferentes, a essência da autora é a mesma. A Flavia tem o dom de criar e inserir filosofias e lições de vida na vida cotidiana e faz isso de uma maneira muito linda e tocante em seus projetos literários. O que sem dúvida nenhuma, é o seu diferencial.


Então, focando no Diferenças em Comum, como o livro é bem curtinho, com mais ou menos suas 170 páginas, não nos sobra muito para contar os acontecimentos da história. Até mesmo porque, sendo bem sincero, a história em si não é bem o foco, e sim, as lições e filosofias inseridas nela. Entretanto, somos apresentados a um mundo fictício concreto, simples e marcante. Os acontecimentos giram em torno dos melhores amigos, Breno e Camila. Basicamente o livro é a história de vida destes, e de outros, personagens.


"- A ostra é um exemplo que ilustra muito bem o que estou dizendo. Ela é um molusco que, a principio, fica parado no fundo do mar. Se não tiver que enfrentar nenhuma adversidade ao longo do tempo de sua existência, quando chegar o fim de sua vida, abriremos sua concha e não haverá nada de útil ali dentro. Isso nos mostra a infertilidade de uma vida que se regeu pela inércia. Entretanto, se um grão de areia atravessar o espaço entre suas conchas, e se depositar no interior da ostra, ela vai começar a se movimentar, lutar para se defender do ataque, e durante seu trabalho, irá depositando sobre o invasor uma grande quantidade de enzimas. O acúmulo desse material dará origem a uma pérola. Com o exemplo da ostra podemos extrair o aprendizado de que sem luta a vida é estéril. Mas quando a vida contém lutas que são enfrentadas com valor, produz-se uma joia. E se um molusco acéfalo pode fazer uma pérola, o que o ser humano dotado de inteligência e sensibilidade, pode fazer quando decide lutar com entusiasmo?" 

O trecho acima retrata bem a essência do livro; De que devemos nos esforçar e enfrentar com garra as adversidades que a vida nos impõe. E que é a partir destes momentos de instabilidade que descobrimos o quão belo é a vida e que os mais pequenos atos, como o de andar e enxergar, já são uma vitória, que deve ser comemorada e festejada diariamente. Pois a vida não é composta só de grandes momentos de felicidade, e sim, em grande parte,  de pequenos momentos.


Apesar de poder ser classificado como um livro de auto-ajuda, o Diferenças em Comum, não deixa a desejar como um livro de ficção. Obviamente não é aquela história cheia de reviravoltas loucas e anormais, mas é um história que não foge dos padrões reais, simples e emocionante. Vale a pena dar a conferida.


Ah, e eu não poderia deixar de falar do Por Correspondência, também! Como já disse por aqui, o Diferenças em Comum tem seu foco nas lições que ele busca transmitir, contudo, ainda assim, mantendo uma premissa agradável. Já o Por Correspondência, o segundo livro da autora, vemos a grande diferença. As lições e filosofias de vida ainda estão presentes, intensas e pertinentes, porém há todo um enredo muito bem planejado em volta. Extremamente complexo e envolvente. Notei uma grande evolução de um livro para outro. Gostei do primeiro, mas o segundo ganhou meu coração, inegavelmente.

Violeta e Eulália trocaram cartas durante toda a vida, desde o momento em que se afastaram, quando ainda eram muito jovens. Diversos desafios tiveram de enfrentar ao longo do caminho que percorreram separadas. Mas as cartas que tinham por hábito trocar continuamente sempre lhes deram a força de que precisavam para permanecer lutando. Em cada palavra que liam e escreviam uma para a outra, encontravam o alento de saber que em algum lugar havia uma pessoa que se importava com sua felicidade e que estava disposta a ajudá-la a superar todos os obstáculos. Compartilhando reciprocamente as lições aprendidas com as experiências que viviam, e posteriormente utilizando-as para enriquecer os conselhos que se faziam necessários, obtiveram o estímulo para seguir em frente. Por meio desse vínculo, que as cartas jamais deixaram se dissolver, as duas amigas descobriram que em qualquer situação, seja ela de dificuldade ou de alegria, o bem mais precioso que se pode dar, receber ou dividir é o conhecimento.
Lembrando que o Por Correspondência já foi resenhado, a bastante tempo, aqui no blog e se quiserem saber a minha opinião completa a respeito do livro, basta ler a resenha.

14 comentários:

  1. Menino, você é sensacional. Um homem de mente avançada no corpo de um jovem garoto. Sempre me impressiona com a sua capacidade de penetração. Nasceu mesmo para a literatura!

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros assim que nos faz refletir, uma obra que ensina e nos faz repensar em muitas das nossas atitudes. Faz tempo que não leio nada assim, então fiquei interessada! Sua resenha ficou incrível :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem?
    Apesar de não ser meu tipo favorito de leitura, acho que muitas lições desse tipo de livro são válidas e muito bonitas. =)
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  4. Os autores nacionais tem evoluído muito.
    Gosto de livros que trazem mensagens de reflexão e que podemos melhorar nossas vidas.
    “Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida. Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e fazer feliz por inteiro. Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de julho com 3 livros 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Adoro livros que nos deixa algo. Amei a resenha, e o livro também, bjos!

    BLOG LITERÁRIO 2

    ResponderExcluir
  6. Oi Vini!!!

    Eu ainda não conheço a autora, mas pelo que li da resenha ela tem uma excelente narrativa! Dica anotada!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Já vi que vou super amar o "Diferenças Em Comum"! Esses teores filosóficos estando como centro me ganham com facilidade. Adorei!

    SEMQUASES.COM

    ResponderExcluir
  8. Olá, Vinicius.
    Conforme fui lendo pensei que o livro era de autoajuda e depois você comentou isso heeh. Eu acho bem interessante livros assim, com lições de vida, mas eu particularmente prefiro ler outras coisas, por isso eu não leria ele.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. oooi, tudo bem?
    Fiquei interessa pelas obras e acredito que teria uma boa leitura.
    Acho muito legal obras que trazem reflexões de filosofia e lições devida. E bacana saber que a autora tem essa essência.

    SIGA BIO-LIVROS | Página | Produtos Natura | Magazine Você

    ResponderExcluir
  10. Oie,
    não conhecia os livros, mas parecem ser interessantes.
    Não é meu gênero preferido, mas gostei da premissa.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  11. Eu costumava dizer que não gostava desse gênero, mas vejo que a gente sempre precisa uma hora de uma leitura agradável como essa! ótima resenha.

    Beijo
    www.leitorasvorazes.com.br

    ResponderExcluir
  12. Olá! Adoro quando os livros nos passam mais do que apenas suas histórias, mas ensinamentos também!

    Beijinhos,

    Beatriz - Blog Escrevendo Mundos

    ResponderExcluir
  13. Olá.
    Gosto de livros filosóficos, mas pela sua resenha e pela citação, deu para perceber que ele tem uma pegada maior de autoajuda do que de filosofia ou mesmo ficção. E, infelizmente, não gosto de livros de autoajuda.
    Contudo, talvez dê uma chance no futuro. Gosto de conhecer novos autores.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de julho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  14. Oi
    nem conhecia a história, parece trazer boas lições, pena que não sou de ler auto-ajuda, já li um que tinha uma história de ficção e também era auto-ajuda,levei três meses para terminar de ler. Gostei de sua resenha.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism