sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O Uso Equivocado de Projetos Literários nas Escolas


Recentemente minha escola resolveu promover projetos literários para a disseminação do gosto pela literatura entre os alunos. Em um primeiro momento, foi reservado um tempo para que os estudantes participassem de uma modesta (para não dizer pobre) feira do livro, por assim dizer, na escola. Cada um pegava uma revistinha, um livrinho e sentava em um canto para, teoricamente, ler. Resultado: As muitas palavras que eram para invadir o cérebro através dos textos impressos, transformarem-se em conversas entre os grupos de adolescentes que formaram-se, inevitavelmente. Consequentemente, e aparentemente, o colégio desistiu de manter o projeto. Entretanto, muito tempo depois, hoje, eis que vejo que não foi bem isso que aconteceu. 



Ao entrar na sala, a professora de português já anuncia que iríamos, em seu último período, para a biblioteca realizarmos um momento de leitura. Chegando lá nos foi dito: "Escolham algum dos livros disponíveis em cima da mesa". De fato, podíamos escolher o livro que mais nos interessasse, mas nossas opções limitavam-se apenas para os clássicos brasileiros. Escolhi meu livrinho, "Senhora" do José de Alencar, e fui caminhar entre as prateleiras ver o humilde acervo da biblioteca. Afinal, literatura clássica, definitivamente, não é o meu tipo de leitura predileta. Acontece que enquanto eu avistava um titulo ou outro que me deixasse interessado fui repreendido pela bibliotecária (Ou professora? Não me lembro.) com ela me dizendo "Hoje é só pra ler os livros clássicos!". Tá, né, quem sou eu pra argumentar? 

Os demais alunos, meus colegas, escolheram seus livros clássicos e juntaram-se em um cantinho com almofadas e cadeirinhas. Junte adolescentes loucos para irem pra casa e cheios de energia, que nunca leram um livro na vida (a grande maioria), com livros clássicos de narrativas chatas, complicadas e cansativas. O que os idealizadores do projeto esperavam? Que todos lessem comportadamente, e envolvidos pela história do livro, locassem-o e o levassem para casa. O que aconteceu? Cada olhada, espirro, gemido, enfim, qualquer coisa, gerava motivo para risadas. Eu mesmo, admito: Não fiz questão nenhuma de tornar esse projeto um projeto bem realizado. Ri mesmo. Conversei mesmo. Não li nada.


Chega um momento em que nos é solicitado para que assinássemos uma ficha. Quando ela chega em mim, vejo o que está escrito: "Objetivo do projeto: Disseminar o gosto pela literatura entre os jovens". Não afirmo com todas as letras que foi com esta mesma frase, mas foi algo muito, muito mesmo, perto disso. Neste momento, juro que eu segurei um riso, olhei as capas dos livros clássicos que estavam nas mãos de meus colegas, e pensei: Em que mundo que estas pessoas vivem? Quando que OBRIGAR um aluno a ler um livro CLÁSSICO vai ser cultuar o gosto pela literatura entre os jovens? QUANDO?! Isso não está certo. Nem um pouco. Gente, nem eu que amo ler, e faço isso como hobbie leria um livro clássico com a mesma disposição que leio os livros que geralmente resenho aqui. O ato de obrigar a lermos os livros clássicos sempre vem com aquele mesma antiga argumentação: "São as leituras obrigatórias do ENEM. Tu não vai fazer ENEM?". Ta certo, é importante lermos tais livros, mas não me venham dizer que o que eles querem é despertar o gosto pela leitura desta forma. E mesmo se for, dificilmente eles irão conseguir.


O que eu não consigo saber é o porquê que eles não notaram que desta forma, o que vai acontecer é justamente o contrário do que foi proposto. A pessoa que nunca leu, ao pegar um livro clássico e ver toda a complexidade da escrita, vai imediatamente taxar como chato não só aquele, como todos os livros existentes e consequentemente, vai querer é fugir dos livros em vez de le-los. Na minha concepção o primeiro contato com um livro deve ser com uma obra agradável, de fácil entendimento e que o leitor que a ler, se identifique e se interesse pelo seu conteúdo. Entende? A primeira leitura deve ser uma experiência positiva, e não obrigatória. Coisa muito diferente do que a minha escola está oferecendo.

20 comentários:

  1. Vinícius!
    Acredito que o projeto não foi bem elaborado, mesmo que a intenção tenha sido boa.
    Por que você não conversa com a professora e tenta orientá-la de uma forma melhor? Mostra um projeto onde os alunos possam ler livros estimulantes (pode até conversar com seus colegas e ver qual estilo seria mais atrativo para chamar atenção deles),pode também sugerir uma doação de livros, tipo uma campanha na escola ou até na cidade, assim, aumentaria o acervo da biblioteca, enfim, não deixe a chama da ideia morrer. Temos de continuar estimulando a leitura... Boa sorte!
    Obrigada pela visita feita ao blog.
    Bom final de semana!
    “Quem já passou por essa vida e não viveu, pode ser mais, mas sabe menos do que eu...” (Vinicius de Moraes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de agosto com 3 livros 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Oiii Vinicius

    Ja faz tempo que tá na hora de rever os conceitos na escola com relação aos livros adotados. Tá, tudo bem, eu entendo que no vestibular eles pedem os clássicos mas... não dá pra meter na cabeça de um estudante que nunca leu um livro logo de primeira Memórias Póstumas de Bras Cubas. Gente, sinto muito, mas 99.9% das pessoas que leram acharam um saco...
    Pra introduzir o amor a leitura, as pessoas precisam no mínimo ter prazer no que vão ler, sentir curiosidade, e se sentir próximas aquilo. Existem livros atuais, com dramas atuais e que super envolvem o leitor. A linguagem mais fácil é outro ponto que vão despertar o interesse das pessoas.
    Infelizmente, muitas vezes as escolas agem de maneira mecânica, seguindo a apostila de "as faculdades no vestibular pedem..." e não deveria ser bem assim...
    Quer ensinar seus aluno a lerem Machado de Assis ou Álvares de Azevedo? ok! Mas primeiro dêem a oportunidade do estudante apaixonar-se pela leitura tendo a liberdade de ler algo mais ao seu estilo primeiro. E já que os clássicos são obrigatórios por causa do vestibular, deveriam desenvolver projetos mais dinâmicos que incentivassem as pessoas, não apenas o velho: senta aí e lê...

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  3. CONCORDO TOTALMENTE, não adianta querer que o aluno leia livros clássicos para criar gosto pela leitura, a gente cria esse gosto quando lemos o que gostamos e refinamos com o tempo aquilo que é bom pra nós...

    Ciranda da Bailarina
    Página Facebook

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ooi! Bom, achei interessante o projeto, mas de fato ele é falho. Não da para convencer um jovem a pegar o gosto pela leitura com um clássico. Mas é interessante, por exemplo, você que já tem um blog e o habito de ler talvez conversar com as pessoas da sua escola responsável pelo projeto e falar sobre como poderia ser feito isso, dando ideias de livros que podem agradar os jovens e tudo mais. Quem sabe da para fazer um projeto diferenciado e melhor.
    Beijos
    Estilhaçando LivrosCantar em Verso

    ResponderExcluir
  5. Oi Vini!

    Que post legal, adorei o tema. Eu comecei com livros da série Vagalume, a gente tb tinha que ler sobre um livro que tinha um tema mais juvenil. Depois na oitava série começamos a ter os clássicos. Mesmos sendo obrigatório eu gostei bastante e acho que parte do meu gosto literário veio disso. Acho que talvez o ideal seja mesclar os clássicos e outros tipo de gênero porque assim estimula o gosto e ajuda no Enem né: rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oie,
    acho que este é um dos grandes problemas nas escolas. Eles tentam ensinar a ler com livros que nesta ideia não estamos preparados. Se o jovem não gosta de ler, ler por obrigação um livro clássico ele vai gostar ainda menos do hobb

    Acho que as escolas tinham que incentivar a leitura de livros como Harry Potter, por exemplo, que a maioria dos jovens gosta, podemos trabalhar muitas coisas neste tipo de livro e ainda ensinar que a leitura é prazerosa.
    Uma pena este tipo de projeto.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  7. Gente ai rolou um conflito entre objetivo e metodologia assim gritanteeeeeeeeee!!!! Se o objetivo era aproximar dos livro a estrategia de obrigar vocês a lerem clássicos foi podre de tão ruim!!! Claro, vcs precisam ler clássicos, todos precisamos, mas existem métodos para aproximar jovens leitores dos clássicos nenhum deles inclui OBRIGAR, é preciso SEDUZIR... Apresentar o autor, selecionar boas citações, levar uns HQs feitos a partir da obrar, citar os autores atuais... Nossa... Como professora fico passada! Você devia colocar esse post na page da escola para vê se o povo se toca!

    Pandora
    #DoQueEuLeio

    ResponderExcluir
  8. Oi
    as escola tem que entender que existe outros livros além do Clássico, na escola que eu estudada tinha até um bom acervo de livros e encontrava vários gêneros até como, Crepúsculo, O garoto do pijama Listrado, As garotas da rua Bacon e muitos outros bem interessante ia lá pegar livro mais de uma vez por semana e esses dias no facebook vi que essa mesma escola premiou os três maiores leitores do semestre de acordo com os nomes da ficha. [ na minha época nem tinha premiação] e acho que ganharam livros, acho que isso é um incentivo de leitura na escola o acervo está disponível, agora eles devem ter outros títulos novos e provavelmente de livros mais recentes já que me formei em 2009. Acho isso interessante, claro nas aulas de literatura as vezes tínhamos que ler os clássicos, dos que tive que li só gostei de dois.
    Porque você não faz um novo planejamento, com pesquisa e tudo e tenta trazer uma nova cara para esse projeto da sua escola;

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oie Vini =)

    Eu sempre gostei de ler desde de pequena, então nunca tive problema em ler os clássicos na época de escola. De todos os único que quando li não gostei foi Dom Casmurro, mas tenho a sensação que se pegar ele para ler hoje vou ter uma visão diferente da história.

    Acredito que a melhor forma de incentivar os adolescentes de hoje a ler é levar autores nacionais como Paula Pimenta, Carina Rissi, Raphael Draccon, Eduardo Sporh entre outros para as escola. Dessa forma elas continuam promovendo a literatura nacional, mas sem forçar ninguém a ler clássicos.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  10. Oi, Vini!
    Adorei seu post e sua opinião.
    Eu creio que o faz os jovens não gostarem de ler é essa obrigação que os professores impõem de ler os clássicos. Eu sei porque já passei por isso e eu era a rebelde que nunca queria ler.
    Uma abordagem poderia ser alguns livros que lembram histórias de clássicos e isso tem de montão por aí.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  11. Olá, Vini!
    Concordo inteiramente com você.
    Somente quando os professores/responsáveis na escola perceberem que literatura clássica brasileira e de vestibular NÃO vai estimular o gosto pela leitura nos jovens é quando o quadro vai mudar.
    Ninguém vai adquirir gosto por nada sendo obrigado a gostar. A pessoa tem que descobrir do que gosta e não ser forçada a gostar.
    Adorei seu post. Meus Parabéns.

    Abraços!

    -Ricardo, http://lapsodeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Concordo, fazem o mesmo na minha escola. Para pessoa adquirir hábito da leitura, tem que, inicialmente, colocar livros com que a linguagem não seja tão complexa e também, que tenha tema de interesses da faixa etária do público que a escola quer atingir com o projeto.

    ✯ Instagram ✯♮​✯ Blog Eu Sendo Assim ✯✯ Fan Page ✯

    ResponderExcluir
  13. Oi Vinicius,
    Parece que não é só a sua escola. Na época que estudava era a mesma coisa, uma obrigação de ler tal livro. Em vez de fazer com que fosse estimulado a leitura para os alunos abordando generos que as pessoas gostem de ler.
    Infelizmente é uma triste realidade.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  14. Eu participo de um projeto literário na instituição onde trabalho, apesar de amar os livros clássicos e achá-los super necessário, não foi lendo por obrigação que adquiri o bom hábito da leitura, mas como professora é fato que precisamos incentivar dessa forma, faz parte do curriculo escolar, a diretoria exige...e ser professor hoje em dia com toda a mídia existente é bastante complicado, os alunos na maioria não tem interesse e conseguir que eles se interessem é um desafio bem difícil mas não desisto...rsrs

    Daily of Books

    ResponderExcluir
  15. Eu participo de um projeto literário na instituição onde trabalho, apesar de amar os livros clássicos e achá-los super necessário, não foi lendo por obrigação que adquiri o bom hábito da leitura, mas como professora é fato que precisamos incentivar dessa forma, faz parte do curriculo escolar, a diretoria exige...e ser professor hoje em dia com toda a mídia existente é bastante complicado, os alunos na maioria não tem interesse e conseguir que eles se interessem é um desafio bem difícil mas não desisto...rsrs

    Daily of Books

    ResponderExcluir
  16. Olá Vini!

    Confesso que quando comecei a ler o título do post, "O Uso Equivocado..." achei que era um nome de livro, hehehe. Aí quando percebi que você estava trazendo uma baita duma reflexão bacana, corri para ler o texto.

    Sua análise foi sensacional e eu concordo completamente com sua opinião.

    Um beijo,
    Ruh Dias
    perplexidadesilencio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Ótima postagem e minha opinião é muito parecida com a sua.
    Isso faz com que várias pessoas acabe nem lendo mais nenhum outro livro porque acha que não vai gostar.
    O pessoal da minha sala começou a ler agora depois que eu comecei a levar livros para a escola e apresentei um trabalho sobre o assunto... agora vários estão lendo entre romances, fantasia e ação!

    www.donadegato.com
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Acho que em todo colégio é assim, simplesmente porque eles estão interessados em que o aluno passe na prova do ENEM, principalmente se for colégio particular; ter alunos nas federais traz visibilidade ao colégio, e é isso que todo diretor quer... pôr uma placa bem grande na entrada da instituição com o nome dos alunos aprovados no ENEM, que consequentemente, cursarão uma universidade federal.
    Colégio nenhum incentiva a leitura, é uma pena.
    Aliás, na oitava serie eu tive aula de literatura (pela primeira vez) e o colégio nos solicitou dois livros, um eu gostei muito e por causa dele comecei a ler, mas acho que foi uma exceção raríssima.
    http://brancobolcado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Erraram feio, erraram rude.
    Lembro que na minha época de ensino fundamental éramos livres para escolher algum livro para discutir ao fim do mês ou escrever uma "resenha" e às vezes tinha provas relacionadas a livros específicos.
    Não sei se foi exatamente por isso (mas deve ser), eu criei gosto pela leitura bem rápido. Eu era livre. Eu podia escolher o que mais me interessava. Lembro de ir direto para as prateleiras de infantojuvenis e passar minutos olhando capas e sinopses.
    Isso de querer obrigar a ler clássicos com certeza vai fazer aumentar a aversão daqueles que já não gostam e afastará quem pensou que poderia ser legal. Acredito que seria uma boa você dar uma lista com sugestões de livros para a professora e explicar seu ponto de vista.

    Abraço,
    Kemmy|Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  20. Oi, Vinicius.
    Eu receio que esse tipo de projeto não acontece só na sua escola.
    Esse é um pensamento disseminado por todo o país.
    Obrigar jovens a ler a literatura clássica brasileira.
    Talvez não seja tão ruim assim essa obrigatoriedade. Acho que o problema maior é como foi feito.
    Em casos assim, deveria haver a disponibilidade de livros mais leves e divertidos.
    O que acaba acontecendo é que os jovens tomam aquilo como "ler é ruim" e acaba perdendo uma infinidade de livros legais que poderiam ser lidos posteriormente.
    Abraço.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir

 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism