sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Resenha: O que te Move? - Fernando Moraes

Movimentar-se para não ficar aprisionado à zona de conforto é um dos grandes desafios nos tempos modernos. Quando a abundância impera, certamente a visão de futuro fica mais comprometida, por isso se faz necessário nos movermos para ter propósitos, sonhos e esperança de dias melhores. Saindo do estado conformista, que anula as possibilidades e nos imobiliza por causa do imediatismo, ser protagonista é mais do que ser o ator principal de tudo aquilo que envolve a nossa vida. Ser protagonista é colocar o coração no sofrimento do outro, renunciando a zona de conforto em função de quem precisa de nós. Movimentar um sonho, uma causa, um ideal ou um propósito de vida nos permite despertar para novas oportunidades, aflorando talentos, habilidades, dons e potenciais, nos dando confiança e coragem para seguir em frente. Neste livro, Fernando Moraes o convida a se mover em busca de novos desafios, a ter atitudes que inspiram grandes transformações.
 O que te move? é um livro com um titulo extremamente sugestivo. Os dizeres da capa, o que te move?, nos leva a um questionamento direto sem paralelos, uma pergunta forte e impactante e que ainda enfoca em outras questões derivadas do questionamento principal, como: Quem é você? O que você faz aos outros? Como você faz isso?. O interessante desse livro é que ele não é escrito em um aspecto apenas autor x leitor, ele está muito além. O livro é todo escrito, moldado e articulado voltando-se metaforicamente aos outros, não a nós mesmos. 


O ato de ajudar ao próximo é o principal elemento presente na obra, a caridade, as boas ações entre outras formas de movimentos sociais existentes. Mas como é bem debatido na obra, o ato de ajudar não tem presença somente no fato de darmos dinheiro aos mais pobres, e sim, no sentimento e em todo significado simbólico que está em volta disso. Além disso, em toda a amplitude e vastidão do verbo ajudar, a ajuda não se prende somente ao lado material, mas também, e principalmente, nos atos simples e humildes de bondade que podemos oferecer, por que prender-se somente a ajudar a parte física de uma pessoa, por que não ajudar também, seu psicológico? Mostrar que ela é capaz. Mostrar o potencial que ela tem, faze-lo despertar, e deixar claro que os sonhos só são impossíveis de se realizarem se o seu criador permitir. Temos o poder de decidir os rumos de nossa vida e temos que saber transmitir esse poder aos outros. 


Mas o livro não é só isso, ele é muito mais. Mas não convém ficar falando, por que ele é um daqueles livros que não tem como você explica-lo, só o lendo mesmo para entender do que estou falando. E a escrita do autor é super envolvente deixando toda essa temática que para muitos pode parecer desinteressante em um tema legal de se ler, além do fato de o livro ser super curtinho, o que resulta em uma leitura rápida e envolvente e que nos deixa intrigados muito tempos depois de ter fechado o livro, as muitas filosofias aqui presentes são pertinentes e condizentes com o que estamos passando em nossa realidade. Com certeza foi uma leitura a qual me surpreendeu bastante, e que, indiscutivelmente, me fez ficar submerso em muitas reflexões.  

12 comentários:

  1. Vinícius!
    Achei o livro bem importante para movimentar nossas atitudes em relação as pessoas.
    Precisamos exercitar a solidariedade e precisamos ajudar mais as pessoas e a nós mesmos.
    Bom final de semana!
    “Demore na dúvida...E descubra a sabedoria que insiste em se esconder na ausência de palavras.”(Padre Fábio de Melo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Oiii Vinícius! É sempre bom ler um livro que nos traga um questionamento interno. O último que li assim foi O Guardião do Tempo, teve todo um enredo filosófico com duas histórias complementares. Acho que livros assim todo mundo deveria ler :D Adorei a sua resenha e concordo que só quem lê entende, até porque é um livro que vai apontar o questionamento de cada um , né?! Seu blog é uma fofura <3

    ***Beijokas -Hellen Barros.

    www.apenasgiz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida esse é um livro bem reflexivo, daqueles que nos inspira e nos faz querer ser alguém melhor. Uma leitura super válida!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Vinicius,
    Esse livro parece ser bem reflexivo, acabei não pegando ele para leitura nos pedidos da editora. Mas é uma leitura que eu não descarto mais para a frente.
    Bjs e um bom Domingo!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  5. Oi, adoro livros que nos faz pensar e refletir. Irei acrescentar a minha lista de compra. Beijos!

    Blog Literário 2

    ResponderExcluir
  6. Oi Vini,
    Essa capa está meio Jojo Moyes, não está?
    Adorei a proposta do livro e fiquei com vontade de conhecer mais sobre a obra.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi
    que bom que gostou e mesmo não sendo meu tipo preferido de leitura acho que leria e ao ler sua resenha até pensei em uma pessoa para presentear com ele.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oie! Amei a capa desse livro, não me fez a cabeça, mas acredito que o leria só pela capa! #soudessas kkkk
    Bjss, comenta nesse post por favor ajudaria muito: http://resenhasteen.blogspot.com.br/2016/09/qualquer-cachorro-menos-kombi.html

    ResponderExcluir
  9. Oi Vini!

    Normalmente não é um livro que eu leria, mas parece que a proposta é bem diferente e gera reflexão, neste caso dá até vontade de conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Olá Vini,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, não é uma leitura pro momento mas leria com certeza, ótima resenha...abraço.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Adorei a premissa!
    Gosto muitíssimo desse tipo de livro, sempre concluo a leitura com mil reflexões
    Sortear e "abandonar" livros conta como um ato de caridade? hahaha

    Beijos,
    Kemmy|Duas leitoras

    ResponderExcluir
  12. Oi, Vinicius.
    Esse tipo de livro muitas vezes é julgado como de auto-ajuda.
    Eu prefiro encarar como desenvolvimento pessoal.
    Geralmente nos traz grandes lições com pequenas atitudes.
    Gostei da mensagem e do título do livro.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir

 

Copyright @ 2016 Decidindo-se .

Traduzido Por: Templateism